Paul Auster: Timbuktu

Excepcionalmente, vou publicar a resenha do livro no Heideggeriana, por dois motivos:

1) O Ensaio é dedicado ao professor Ricardo Timm de Souza, que primeiro me falou sobre este livro, e tem um fundo bem teórico – ainda que no estilo de blog, ou seja, breve!

2) Está escrito em inglês. Escrevi o ensaio em inglês porque estou desesperadamente tentando me habituar ao estilo e forma de escrita da terra do tio sam, além disso, queria poder mostrar o ensaio para a amiga que me deu o livro – por o acaso, ela não lê em português.

Certamente vou aumentar o trabalho, comparando um pouco mais longamente com Heidegger e com Rilke – que apareceram como fantasmas (meus) na leitura do livro.

Comments
One Response to “Paul Auster: Timbuktu”
  1. Nato disse:

    O Philomena me indicou Paul Auster como um bom cara pra se pegar influência de escrita. Desde então tenho curiosidade de conhecer, já que eu sou estagiário ainda.
    ¬¬

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: