Discografia Básica:: Joy Division – Closer

Atualmente, Joy Division ocupa um lugar totalmente secundário nas minhas prioridadades quando se trata de ouvir música. Não é parte da minha realidade, não me diz muita coisa, e as vezes me enche o saco. No entanto, acho que a primeira vez que eu comecei a levar música a sério quando comprei uma coletânea do Joy Division, chamada Permanent.

Isso era 1998, minha banda preferida era Led Zeppelin, eu brincava de banda com os colegas de segundo grau e ainda ia nas aulas de piano-teclado Ter ouvido Joy Division estragou minha recepção de todo o resto do som dos anos oitenta, porque tudo me parecia bobinho. Como é que tu vai levar U2 a sério quando tu ouviu o Closer? Não tem como.

Mesma coisa com The Cure, e outras bandinhas do tipo. Por mais que eu goste de The Cure – e eu gosto – não colocaria um album do Cure na minha discografia básica. Mas preciso colocar este album do Joy Division, pelo simples fato de ser um daqueles albuns que definem a sonoridade de toda uma geração.

Se os Ramones definiram o Punk, o Joy Division estabelece o padrão a ser superado pela geração do pós-punk; o curioso é que o padrão do Joy não é superado por nenhuma banda do estilo, talvez apenas com o OK Computer a coisa tenha chegado em um nível de igualdade, em termos musicais até superioridade – mas eu não acho o OK Computer tão influente.

Por isso eu creio que é um album básico. Escutem Passover, depois escutem tudo produzido pelo Legião Urbana na década de oitenta, ganha um doce quem não achar igual. Joy Division é a banda que todo o post punk tentou superar e não conseguiu, e o Closer é o grande album deles.

Twenty four hours é uma tremenda musica, e eu não me importo se tu acha que a bateria com équio é brega, ou que o Curtis era auto-complacente demais para ser relevante. A música continua boa para cacete.

Eu admito: a temática ficou datada, a estética também. Mas escutem Bravery, The Kills, Interpol, e tentem encontrar algo nestas bandas melhor do que o Joy Division fez há quase trinta anos. Se isso não é um referencial , então eu tô perdido. Não tem banda que tenha apostado nesta temática e que tenha sido mais bem sucedida do que Joy Division, e se tu escutou o Closer, tu escutou basicamente o mais interessante do cenário post-punk inglês e não precisa escutar lá muitas outras coisas.

Comments
3 Responses to “Discografia Básica:: Joy Division – Closer”
  1. Ikaro Vicent disse:

    Puta que pariu! Joy Division é a melhor banda dos anos 70!
    Não tem melhor!
    Eles praticamente são os criadores do Goticismo!
    A primeira banda Pós-Punk!
    Nada melhor!

    Very very very cool!

  2. Fernando disse:

    Coloque pra ouvir o album inteiro “closer” do Joy Division e depois escute o primeiro do Legião Urbana 1985. È super parecido.

  3. Davi Albuquerque disse:

    Poxa … sempre quando escuto passover … sinto que the strokes tiveram uma oferta influencia tambem … o primeiro album principalmente deles principalmente

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: