PJ Harvey + John Parish:: A woman a Man Walked By

Ok, expectativas lá em cima, vamos ver qual é que é do sucessor do White Chalk. Ouvindo e reportando:

1) Black Hearted Love – É o single. Parece coisas do dance hall at loose point (dãh). Distorção. Voz ainda no estilo do White Chalk, menos cantado, mais suspirado. Coisas ao estilo sonic youth no fundo. Uns tipos de notas que eu não ouvia em CDs da PJ Harvey desde o To Bring You My Love. A tati vai gostar deste cd.

2) Sixteen, Fifteen, Fourteen –  Folk inglês do inferno. A voz da PJ “envelheceu”, pelo visto. Acho que é algo tipo uma nova “identidade”. Parece – MUITO – com uma música chamada Gloria de uma compositora chamada Patti Smith. Sensacional.  O John Parish colocou todas as digitais, das duas mãos, neste cd. Influência ridícula de no-wave nesta música.

As duas primeiras neste vídeo:

3) Leaving California : Voz de fantasma do White Chalk. Aquilo é um banjo no fundo? Ou uma harpa? Que som bizarro. Trilha sonora de filme de terror. Lembra algumas baladas do Radiohead, mas acho que é só as influências mútuas fazendo efeito. Vocal completamente estarrecedor. Amiguinhos, a palavra é “teatral”. “I think it’s time to leave”.

4) The Chair: Puta. Que. Pariu. O que é esta bateria no início desta música? Estes overdubs tão matadores. Piano, guitarra, cordas, flauta, o diabo tocando oboé e um coro de fugitivos do inferno cantam “piiiieeeceesssss offff myyyy lifeeeee”. Mais uma música sobre jogar o filho na água, e o folk inglês nunca para de me surpreender com seu amor cristão.

5) April: Prozac. Agora. Diamanda Galàs, alguém? Prozac o cacete, isso é caso para Allegra. Podia ser uma música do Tom Waits. Cacete, que harmonias bonitas nesta música.

6) A Woman a Man Walked By: Humor! Parece A boy named Sue, do Cash. Exceto por “I want your fucking ass“, que meio que lembra Grinderman. Qual é o problema com estes betrões? “Just to get up your fucking ass“. Este cd tem um lado B! Genial. Gostaria de denunciar os produtores deste cd pelo assassinato de um piano nesta música. Cara, que cd estranho. No bom sentido, é claro.

7) The Soldiers: Um ukelele? Sério? “ I imagineeeee a dreammm, in which I’m a soldier/and I’m walking/on the faces/of the dead and the living/and everyone I left behind me”. Okey. “Send me home/Damaged//Send me home/Disposed//Send me home Damaged//And Wanting///”. Aí tu vê, né?

8) Pig Will Not: Ai meu ouvido, porra.  Barulho. Overdub de vocal. Chamou os guris do Black Diamond Heavies, hein? Cacete, isso parece Queens of the Stone Age, exceto que Queens é mais melódico. Lembrou Patti Smith de novo. Guitarreira como fazia tempo que a PJ não fazia.Bigmuff no vocal? Piano modificado? Sangue de cristo na cruz? Exu cavera na encruzilhada? É o que parece.

9) Pasionless, Pointless: Título animador, música também. Eu tinha escrito um monte de coisa, mas uma  série de dissonantes acabou com tudo. “There’s no kindness in your hands//No reaching out/For me/Tonight//You slept/Facing the wall/and you wanted/less than I wanted//I slept/facing the wall/but when I met you/how did you enter/I don’t remember//How did we ever?”. Thom Yorke, vai aprender a escrever. Nos falamos depois, valeu?

10) Cracks in the Canvas: é um poema:

How do we cope
(How we go to sleep)
With the days after our death?
Empty days, nothing left
(No hands, no one to wait for)
Not even a funeral

I see shapes forming inside paintings
Animals and humans
Walking towards something
Waiting for something

(Outside the window)
I’m looking for an answer
Me and a million others
Disbelievers
Deserted lovers
Dear God,
You better not let me die this time

Cracks in the canvas
Not like roads
That never end.

Que cd interessante. Vou precisar ouvir mais para ter um diagnóstico definitivo, mas muito mais eclético que o White Chalk – embora eu ainda ache que vai ser difícil bater aquele album. Este trabalho, no entanto, tem coisas muito interessantes, e mantém a verve teatral da PJ quando ela trabalha com o Parish.

Sem dúvida, o trabalho de uma artista no auge da sua produção. E talvez algumas das melhores “letras” que a Polly Jean já escreveu.

Comments
2 Responses to “PJ Harvey + John Parish:: A woman a Man Walked By”
  1. Tati disse:

    óóóóó vc achou! :D

    Aposto que vou gostar. :P

  2. eduardo disse:

    legal, cara!

    adicionei seu link em postagem no meu blog.

    abç!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: