Blog bombando

É só eu colocar aqui uma série de retumbantes bobagens para este blog bombar ensandecidamente.

Enquanto isso, a apresentação que eu tinha preparado para hoje de manhã não rolou porque, bem, eu não entendi porque.

—–

Em outro ponto, vimos Adventureland ontem.

Vale a pena. Filme de gente que gosta de cinema, e gente mais ou menos como a gente, sabe?
Enfim, vocês me entendem.

—-

Em mais um ponto,

O partido republicano virou o Party of Silly. Hoje o noticiário político orbitou no se o Obama ter dado um “oizão” pro Chávez constitui algum tipo de traição. Em outras notícias: oi, a economia tá desabando e tu tá preocupado com ISSO?

—-

Sobre filosofia-e-afins,

Tenho adquirido um interesse redivido todo especial por teologia política. Deixa eu explicar: Eu fico fascinado, daí eu fico com raiva, daí a raiva passa, daí eu acho que não entendi lhufas, daí eu acho que não tem nada ali e vou ler Hume. Daí, eu redescubro alguma coisa na Estrela da Redencão que me remete ao Tratado de Teologia Política, daí eu acho isso divertido. Daí eu fico viajando na maionese e perdendo meu tempo com dois autores irrelevantes naquele momento para a minha pesquisa, daí eu decido voltar para o assunto principal. Daí eu descubro que o autor em tela, de fato, é uma bobagem sem tamanho. Daí eu leio o Dawkins, o Hume e o Kant. Daí o Kant me dá uma via de acesso mais interessante que aqueles empiricistas malditos. Daí eu acho uma citação do Rawls que fecha tudo. Não que eu concorde com o Rawls, mas fechava tudo, então eu ia usar igual. Daí eu percebo que estou usando a teoria da superveniencia para explicar uma sequencia de predicados entendida a partir do materialismo histórico, algo dentro de mim grita “ANACRONISMO”, outro algo grita “opa, mas pera aí, pensa bem, porque a questão da subsunção pode ser compatível com este papo de superveniência, puxa uma nota e reza pro teu professor não ser fanático por Quine”. Daí eu percebo que meu interesse sobre teologia política, na realidade, parte de um interesse em querer pensar a questão da de-sacralização. Daí eu fico pensando em formas de ler W. Benjamin sem usar a palavra “estética” nenhuma vez (impossibilidade completa, mas não custa tentar).

Enfim, o importante é, como eu disse ali em cima, poder escrever um artigo todo bonitinho, fazer tabelinhas, colocar toda a organização em termos de lógica predicativa, explicar porque tratava-se de uma superveniência de dependencia direta e não indireta, fazer tudo isso. Para não dar tempo de apresentar, e o professor largar “explica aí em cinco minutos”.

Corta para aquela cena fatídica do Poderoso Chefão II.

“Michael, this is the live we’ve chosen”

Mas eu quase tive um momento “epa, e eu?” na aula de hoje.  Academia também é deixar o ego de lado.

[espaço para risos histéricos]

Comments
4 Responses to “Blog bombando”
  1. Tatiana disse:

    “There was this kid I grew up with; he was younger than me. Sorta looked up to me, you know. We did our first work together, worked our way out of the street. Things were good, we made the most of it. During Prohibition, we ran molasses into Canada… made a fortune, your father, too. As much as anyone, I loved him and trusted him. Later on he had an idea to build a city out of a desert stop-over for GI’s on the way to the West Coast. That kid’s name was Moe Greene, and the city he invented was Las Vegas. This was a great man, a man of vision and guts. And there isn’t even a plaque, or a signpost or a statue of him in that town! Someone put a bullet through his eye. No one knows who gave the order. When I heard it, I wasn’t angry; I knew Moe, I knew he was head-strong, talking loud, saying stupid things. So when he turned up dead, I let it go. And I said to myself, this is the business we’ve chosen; I didn’t ask who gave the order, because it had nothing to do with business! “

  2. Habkost disse:

    Eu vi Cloverfield esses dias. Que filme de mosntro legal. Mesmo que tu saibas onde todo e cada susto vai chegar, eu me diverti pacas com ele. Vale a pena se vcs não viram

  3. Luis disse:

    “Academia também é deixar o ego de lado.”

    Sim, e normalmente o corpo da pessoa em questã acompanha… :S

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: