35 musicas para 70 anos

Bom, vocês sabem que semana passado o Sr. Robert Zimmerman fez 70 anos e todo mundo que jamais ouviu um album inteiro do homem saiu para falar que ama o aspecto revolucionário da música do Dylan e blah blah blah. Depois de ter lido umas duzentas listas diferentes com 10, 20, 30 e até 70 (caso da Rolling Stone) músicas do maior artista dos últimos 50 anos (sim, artista. Tu acha que não? Bem, te fode), resolvi contribuir com minha própria impressão. Meu primeiro problema: quantas? 70 é de mal gosto. 10 é pouco. 35, então. Bueno, mas qual critério. Meu critério é: minhas preferidas. Segundo problema: Como não colocar as doze faixas do Blood on the tracks como as doze primeiras faixas na lista? Problema sério. Mas creio ter conseguido escapar desse problema. Pois bem, bora pras faixas.

P.S.: Sugiro ignorar as justificativas, escrevi só para aliviar minha consciência e iniciar algum debate com algum outro demente disposto a discutir algo tão inútil.

35) Nettie Moore – Modern Times

I loved you then, and ever shall 
But there’s no one left here to tell 
The world has gone black before my eyes 

Ouvi essa música, ao vivo, duas vezes. Por duas vezes quase tive um colapso. Uma das melhores composições do Dylan, que ainda tem cartucho para queimar em 2006.

34) Highlands – Time out of mind

My heart’s in the Highlands at the break of dawn
By the beautiful lake of the Black Swan
Big white clouds like chariots that swing down low
Well my heart’s in the Highlands
Only place left to go

Pra mim, uma das melhores músicas em um dos melhores albums que o Dylan já gravou.

33) Maggie’s Farm – Bringing It All Back Home

Quando uma música dessa categoria quase não entra na tua lista de Top 35 de um artista, tu entende porque o cara é uma lenda.

32) Gotta serve somebody – Slow Train Comming

“uma musica do born again period?” Observe enquanto eu nao me importo com a tua teoria da suposta conversão do Dylan. O período que o Dylan fez música Gospel é fantástico – em alguns aspectos superior ao 60s – entao nao enche.

31) Only a pawn in their game – Another side of Bob Dylan

As he rises to fame
And the poor white remains
On the caboose of the train
But it ain’t him to blame
He’s only a pawn in their game

Do período de “protesto” do Dylan, essa é definitivamente minha música preferida.

30) It takes a lot to laugh, it takes a train to cry – Highway 61 revisited

Now the wintertime is coming
The windows are filled with frost
I went to tell everybody
But I could not get across

29) Stuck inside a mobile with the Memphis blues again – Blonde on Blonde

Uma das músicas que re-inventaram o estilo que a gente convencionou chamar de rock and roll.

28) I threw it all away – Nashville skyline

Love is all there is, it makes the world go ’round
Love and only love, it can’t be denied
No matter what you think about it
You just won’t be able to do without it
Take a tip from one who’s tried

Seguinte. Admito sem problemas que esse album é, no mínimo, controverso. Mas depois que me mudei prá essas bandas todo o CENÁRIO do Nashville Skyline faz sentido na minha cabeça. Então, essa entrou na lista.

27) You’re a big girl now – Blood on the tracks

A change in the weather is known to be extreme
But what’s the sense of changing horses in midstream?
I’m going out of my mind, oh, oh
With a pain that stops and starts
Like a corkscrew to my heart
Ever since we’ve been apart

A metáfora ali no final do verso é das coisas mais fantásticas já colocadas em um album de rock.

26) Sad-eyed lady of the Townlands – Blonde on Blonde

With your mercury mouth in the missionary times
And your eyes like smoke and your prayers like rhymes
And your silver cross, and your voice like chimes
Oh, who among them do they think could bury you?

Dizem que é uma música de amor. Eu acho que é daquelas composições do Dylan que não fazem o menor sentido, mas que te pegam na sonoridade. Vai saber.  No entanto, foi uma daquelas músicas que – também – mudaram as regras do jogo.

25) Love sick – Time out of mind

“Velho é a puta que te pariu”. Pelo menos é a forma que eu tendo a ler essa música, ok.

24) Mississipi – Love and Theft

Well I got here followin’ the southern star
I crossed that river just to be where you are
Only one thing I did wrong
Stayed in Mississippi a day too long

Então tá, né.

23) This wheel is on fire – The Basement Tape

O vídeo do youtube denuncia o que tu ja deveria saber. A banda “de fundo” responde por “The Band” e foi uma das grandes bandas dos anos 70.

22) One of us must know (sooner or later) – Blonde on Blonde

Todo mundo que fez uma balada em um album de rock depois dessa música imitou o que o Dylan fez aí.

21) I’ll be your babe tonight – John Wesley Harding

Para mim é a melhor canção folk-country convencional da carreira do Dylan. Os versos são simples para caramba, quase simplórios. A composição é bastante primária. E ainda assim, baita música.

20) Highway 61 Revisited – Highway 61 Revisited

Oh God said to Abraham, “Kill me a son”
Abe says, “Man, you must be puttin’ me on”
God say, “No.” Abe say, “What?”
God say, “You can do what you want Abe, but
The next time you see me comin’ you better run”
Well Abe says, “Where do you want this killin’ done?”
God says, “Out on Highway 61”

Já pensei seriamente em escrever um artigo acadêmico inteiro sobre essa música. Depois acordei todo mijado e percebi que eu obviamente estava delirando. Mas a música resume o Dylan de várias formas.

19) Not dark yet – Time out of mind

Well, my sense of humanity has gone down the drain
Behind every beautiful thing there’s been some kind of pain
She wrote me a letter and she wrote it so kind
She put down in writing what was in her mind
I just don’t see why I should even care
It’s not dark yet, but it’s getting there

18) Trying to get to Heaven – Time out of mind

Gonna sleep down in the parlor
And relive my dreams
I’ll close my eyes and I wonder
If everything is as hollow as it seems
Some trains don’t pull no gamblers
No midnight ramblers like they did before
I been to Sugar Town, I shook the sugar down
Now I’m trying to get to heaven before they close the door

Sempre tenho a impressão que o Time out of Mind, especialmente essas duas últimas músicas, é um acerto de contas do Dylan. Digamos, Trying to get to Heaven é a irmã maldita de Knocking on Heaven’s Door, Not Dark Yet uma resposta para a Hard Rain dos anos 60-70… Nessas, o Dylan acabou dando um tapa na cara de todo mundo que acreditava que ele não produziria mais nada de útil – e ainda seguiu o Time out of Mind com mais dois albuns  memoráveis.

17) If you see her, say hello – Blood on the tracks

Sundown, yellow moon, I replay the past
I know every scene by heart, they all went by so fast
If she’s passin’ back this way, I’m not that hard to find
Tell her she can look me up if she’s got the time

Deve ser muito frustrante para outros músicos gravarem albuns “confessionais” depois de ouvir o Blood on the tracks.

16) All along the watchtower – John Wesley Harding

Tentei achar um video decente da musica no youtube, falhei miseravelmente. Mas além de ser o melô dos Cylons (ooops, Spoiler alert), é uma gema perdida em um album pouco conhecido do Dylan – muito embora um dos que eu mais escuto.

15) Buckets of Rain – Blood on the tracks

Life is sad
Life is a bust
All ya can do is do what you must
You do what you must do and ya do it well
I’ll do it for you, honey baby
Can’t you tell?

E assim termina o melhor album do Dylan.

14) I shall be released – Before the flood

They say ev’rything can be replaced
Yet ev’ry distance is not near
So I remember ev’ry face
Of ev’ry man who put me here
I see my light come shining
From the west unto the east
Any day now, any day now
I shall be released

A versão do vídeo é da Band, com o Dylan. Todo mundo devidamente prá lá de Baghdad.  Mas é mais uma evidência que o Dylan sempre fez música Gospel – só que o pessoal achava que era música de protesto. Não é culpa do Dylan se ninguém nos anos 60 jamais entendeu nada :P

13) Knocking on Heaven’s door – Pat Garret and Billy the Kid

Todo mundo conhece essa. Enfim, sei que é lugar comum – mas que baita música. Tem só dois versos, repetidos junto com o refrão:

Mama, take this badge off of me
I can’t use it anymore
It’s gettin’ dark, too dark for me to see
I feel like I’m knockin’ on heaven’s door

e depois

Mama, put my guns in the ground
I can’t shoot them anymore
That long black cloud is comin’ down
I feel like I’m knockin’ on heaven’s door

e daí pronto, como recompensa depois de vinte anos chamam o Axl Rose para fazer um cover da tua música e arruinar com tudo. Ninguém disse que o mundo é justo.

12) Cold irons bound – Time out of mind

The walls of pride are high and wide
Can’t see over to the other side
It’s such a sad thing to see beauty decay
It’s sadder still to feel your heart torn away

Uma das músicas mais cínicas do Dylan. E isso não é pouca merda.

11) Just like a woman – Blonde on Blonde

Mais uma música do Blonde on Blonde que mudou as regras do jogo.

10) Like a Rolling Stone – Highway 61 Revisited

Em uma lista das músicas mais importantes do Dylan, essa seria o primeiro lugar. Mas essa é a MINHA lista. Na minha lista, as nove que vem agora são melhores.

9) A hard rain is gonna a-fall – The freewheeling Bob Dylan

Acho que de todas as músicas influentes do Dylan, essa foi a que mais influenciou artistas que eu gosto. Consigo imaginar desde Nick Cave até Chuck D., passando por Mick Jagger, todos eles completamente putos da cara por não ter composto isso. “A hard rain is gonna fall means change is gonna happen”, falava o Dylan nos anos 60-70.  Se o Time out of Mind e o que seguiu é o pós-tempestade, então dá para sacar que a tal change não foi lá grandes merdas na cabeça do trovador.

8) Subterranean Homesick Blues – Bringing it all Back Home

A música que inventou o videoclipe. Também foi a música que re-inventou os Beatles e transformou a história da música contemporânea. De quebra, é uma das composições mais engraçadas do Dylan, case in point:

Johnny’s in the basement
Mixing up the medicine
I’m on the pavement
Thinking about the government

7) Isis – Desire

She said, “Where ya been?” I said, “No place special”
She said, “You look different.” I said, “Well, not quite”
She said, “You been gone.” I said, “That’s only natural”
She said, “You gonna stay?” I said, “Yeah, I jes might”

Ah, as coisas que passam por músicas de amor na cabeça do Dylan…

6)  It’s alright Ma, I’m only bleeding – Bringing it all back home

Darkness at the break of noon
Shadows even the silver spoon
The handmade blade, the child’s balloon
Eclipses both the sun and moon
To understand you know too soon
There is no sense in trying

Tenho prá mim que o Caetano Veloso passou boa parte da carreira tentando re-escrever essa música. Dizem que o Ginsberg se apaixonou pelo Dylan depois de ouvir essa música.  E por aí vai.

5)  Sara – Desire

Só achei um vídeo miseravelmente podre no youtube. Não vou associar aqui ao vídeo, mas recomendo procurar caso não conheça a música, que vai mais ou menos assim:

I can still hear the sounds of those Methodist bells
I’d taken the cure and had just gotten through
Stayin’ up for days in the Chelsea Hotel
Writin’ “Sad-Eyed Lady of the Lowlands” for you

Segundo a Tatiana, é a única música do Dylan que consegue ser sobre romance sem ser uma facada. O que nos leva para…

4) Tangled up in Blue – Blood on the Tracks

Early one mornin’ the sun was shinin’
I was layin’ in bed
Wond’rin’ if she’d changed at all
If her hair was still red

O blood on the tracks começa assim. Um grande livro poderia começar do mesmo jeito e ninguém ia achar estranho.

3) Simple Twist of Fate – Blood on the Tracks

They sat together in the park
As the evening sky grew dark
She looked at him and he felt a spark tingle to his bones
’Twas then he felt alone and wished that he’d gone straight
And watched out for a simple twist of fate

Ditto.

2) It’s all over now, Babe Blue – Bringing it all back home

You must leave now, take what you need, you think will last
But whatever you wish to keep, you better grab it fast
Yonder stands your orphan with his gun
Crying like a fire in the sun
Look out the saints are comin’ through
And it’s all over now, Baby Blue

Pensa num artista que tu gosta. Ele provavelmente fez uma cover dessa música. Em algum momento, pode nem ter gravado. Mas fez. Inclusive, até aquela banda inominável de porto alegre fez cover dessa música, mas creio que todo mundo quer esquecer desse fato. A versão original não é tão matadora, mas todas as versões ao vivo – do Dylan, bem entendido –  que ouvi dessa música são fatais. E certamente seria a maior música da carreira do Dylan, se não fosse por…

1) Idiot Wind – Blood on the Tracks

Pronto, missão cumprida – cf. combinado, Tati.

(e chega, né, que ninguém vai ter lido isso)

Anúncios
Comments
7 Responses to “35 musicas para 70 anos”
  1. gabrieldivan disse:

    Eu li.

    Beh, mas tu gosta MESMO do “Time out of mind” han? Nao menosprezo, obvio, mas nao daria tanto pra ele.

    Do Love and Theft podia vir um “Po’ boy”.

    E, COMO, COMO nao surgem na lista “Queen jane…” e “Positively 4th street”?

    hehe!

  2. Verdade, as duas poderiam ter rolado.

  3. Tati disse:

    O melhor vídeo do Dylan (prelúdio pra “Like a Rolling Stone” em Manchester em 1966) tu não colocou!

    :)

  4. Haha, clássico :D

  5. Renata disse:

    eu li [2].

  6. gabrieldivan disse:

    Positively = DEITA O CABELO. Maior musica “de amor”

  7. Sergio Nunes disse:

    Putz ta na hora de tu te atualizar meu, sai dessa vidinha e vai ouvir Restart, Luan Santana, Fresno. Bob Dylan nem é isso tudo….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: