Desmistificando Heidegger (só que não)

Tudo começou hoje de manhã, enquanto eu ouvia meu chefe falar do DÁÁÁÁÁÁÁ do sein. No DASEIN Heideggeriano. Daí, fiquei perplexo, que todo o sujeito que estuda Heidegger teima em falar com certa gravidade o DÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ seguido por um deprimido, meio molenga, sein. Fica tipo o DÁÁÁÁÁÁA-espaço dramático-sein. Meio performático, quase. Como em “DÁÁÁÁÁÁÁ-sein significa esse abandono originário da constituição da subjectividade no paradigma Cartesiano que, em verdade, aponta para um esquecimento – na história da filosofia- da questão original do SER e do LUGAR (o DÁÁÁÁÁÁÁÁÁ) desse SER (-pausa dramática, remember-sein)”.

Nisso, Tatiana me interpela no chat:

“Tatiana: dáááázein
que que tem?
:P
como é que é o certo?
:P
Fabricio: sei la
mas acho hilario
The D’A’A’A’A’sein
the DAAAAA of sein
o sein sempre parece DESANIMADO
meio DEPRIMIDO
eh tipo DAAAAAAAAAAAAAAAA (sein)
 Tatiana: mas o sein é sempre deprimido
não é essa a explicação pra toda filosofia do heidegger?
Fabricio: tudum-psh
Tatiana: sempre achei que fosse
sein = depressão
Fabricio: deprimido, nao. ANSIOSO.
Sein fica triste pq tem muito judeu no mundo.
Tatiana: afhsdkjfhksdjhfsd
Fabricio: ain toda essa gente INAUTENTICA
Tatiana: sein tentou dar um jeito, mas não conseguiu
Fabricio: nao deixa eu expressar meu ser-alemao
sim, tentou tirar o VIRUS JUDAICO do DA ORIGINAL ALEMAO
perdao
do DAAAAAAAAAA
ESSES CIRCUNCISADO TUDO NAO ME DEIXAM SER
Heidegger tinha total medo de perder a mulher prum Judeu qualquer.

Enfim, crise geopolítica = medo de perder a mulher.

Comments
6 Responses to “Desmistificando Heidegger (só que não)”
  1. marlon disse:

    Dãããhn, sein. (desculpa)

  2. nunca vi, assim, meio bêbado.
    mas seria interessante, também.

    O dãããããããã (pausa para engolir o próprio vômito), sein.

  3. Marcelo disse:

    Eu li o post todo com sotaque do bom fim…

  4. Pedro disse:

    Sobre o medo de perder a mulher dele, também daí vem o Dá-sein.
    Ele estava implorando para dar umazinha (ein) com a esposa: Dás-ein, meu amor??

    Tentando me recuperar da tentativa infame de piada/trocadilho, indico um livro sobre as ligacoes do sujeito com o III Reich, do Emmanuel Faye. Rapaz, chega a dar uma vergonha pelo que o cara escreveu. Eu tô lendo a traducao na língua do Dasein, mas foi originalmente publicado em francês (Heidegger, l’introduction du nazisme dans la philosophie : autour des séminaires inédits de 1933-1935, 2005).

  5. Sim, sim. Esse livro eh fantastico. Tambem recomendo o “Heidegger and the Ideology of War”, do Losurdo.

    Bom para largar de mao qualquer tentativa de achar que tem salvacao o legado do bigode.

  6. haha. me embananei no login ali em cima.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: